Estatística de Policiais Mortos e Baleados em 2014

By Roberta Trindade

Mal passamos da metade do mês de setembro e o ano de 2014 registra 203 policiais baleados no Estado do Rio. No total, 6 eram policiais civis – sendo 1 aposentado – e 197 eram PMs – sendo que 8 eram reformados, 1 era recruta e 2 eram oficiais. Do total de policiais na ativa, 69 estavam de folga e 124 estavam de serviço. Destes, 57 morreram.

sgto braulino

Sargento PM Alexandre Moreira Braulino, 42 anos

2 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado no 20º BPM (Mesquita), o sargento Alexandre Moreira Braulino, 42 anos, morreu após ser baleado durante uma saidinha de banco – quando a vítima é seguida e assaltada após efetuar saque em agência bancária ou caixa eletrônico. O PM havia sacado dinheiro em um caixa 24 horas na Padaria do Nozinho, na Estrada Adrianópolis, no bairro de mesmo nome, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, quando foi abordado pelos assaltantes. Baleado na frente da esposa, o policial não resistiu.

4 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Mangueira, o soldado Pablo Pinheiro da Silva Peres foi baleado durante confronto com criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que ainda controlam o tráfico de drogas no local. A troca de tiros ocorreu na localidade conhecida como Olaria. Um traficante foi preso. Com ele, os PMs apreenderam uma pistola 9mm.

8 de Janeiro: 2 PMs baleados
Lotados no 9º BPM (Rocha Miranda), dois policiais que não tiveram nomes e nem idades divulgados foram baleados enquanto realizavam patrulhamento na Avenida Ministro Edgard Romero, em Madureira, na Zona Norte do Rio. Os PMs foram atingidos por traficantes do Morro da Serrinha que tentavam atravessar a via para invadir o Morro do Cajueiro.

13 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 16º BPM (Olaria), o soldado Wallace de Lima Leite foi baleado durante confronto com criminosos na Favela Furquim Mendes, no bairro Jardim América, na Zona Norte do Rio. Ele recebeu alta após um mês de internação no Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, na região central do Rio.

13 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 40º BPM (Campo Grande), o sargento Marcos Gonçalves foi baleado ao tentar reagir a uma saidinha de banco – quando a vítima é seguida e assaltada após efetuar saque em agência bancária ou caixa eletrônico – em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. Atingido por três tiros, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Rocha Faria.

14 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no Serviço de Inteligência (P-2) do 7º BPM (São Gonçalo), o soldado Max Enis Gomes da Silva Júnior, 34 anos, foi baleado ao tentar reagir a um assalto, no trecho Niterói-Manilha da BR-101. O PM recebeu os primeiros socorros na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Manilha e foi transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres – mais conhecido como Hospital Geral de São Gonçalo – no bairro Colubandê, onde permanece internado em estado grave.

Sargento PM Jorge Luiz Dutra Moraes, 45 anos

Sargento PM Jorge Luiz Dutra Moraes, 45 anos

17 de Janeiro: 2 PMs baleados
Lotados no Serviço de Inteligência (P-2) do Comando de Polícia Ambiental (CPAm), os sargentos Jorge Luiz Dutra Moraes, 45 anos, e Edson Silva Cerqueira Júnior, 35, foram baleados no bairro Colubandê, em São Gonçalo. Os PMs estavam em um Renault Sandero e passavam pela Rua Expedicionário Ary Rauen quando foram foram fechados por um carro vermelho – de placa e modelo não anotados – onde havia dois homens armados.
Os criminosos tinham a intenção de roubar o automóvel, mas ao perceber que os ocupantes eram policiais em uma viatura descaracterizada, efetuaram diversos disparos.
Ao volante da viatura, o sargento Edson foi atingido na mão, no peito, no quadril e na perna. Já o sargento Dutra, que estava no carona, foi baleado no abdômen. Socorridos, eles foram levados para o Hospital Estadual Alberto Torres – mais conhecido como Hospital Geral de São Gonçalo -, onde permanecem internados.

PM T Silva

19 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Favela do Mandela, o soldado Thiago Silva morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Unamar, em Cabo Frio, na Região dos Lagos, onde deu entrada com um tiro no peito. Ele foi baleado durante discussão com a namorada, mas as circunstâncias ainda não foram esclarecidas. O PM era canhoto e de acordo com as primeiras informações, o tiro teria sido efetuado por uma pessoa destra.

24 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Pavão-Pavãozinho, um soldado que não teve o nome divulgado foi baleado no braço direito durante confronto com criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no local. O confronto ocorreu na localidade conhecida como Vietnã.

24 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Vila Cruzeiro, o soldado Bruno Francisco da Silva Moraes morreu ao tentar impedir que uma vizinha fosse assaltada, na Rua Alfredo Araújo, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. O PM ouviu os gritos de socorro da vizinha, que teve a casa invadida por assaltantes, e correu para o portão do imóvel, onde acabou surpreendido pelos bandidos. Baleado no rosto, o policial sequer teve tempo de reagir. Ele morreu no local. Os criminosos conseguiram fugir.

28 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha, o soldado Guilherme Gomes de Souza foi baleado durante confronto com criminosos na localidade conhecida como Lajão. Horas antes, bandidos determinaram o fechamento do comércio na parte baixa da favela. A ordem seria uma represália à morte de um comparsa baleado na véspera em troca de tiros entre traficantes de facções rivais ocorrida na localidade conhecida como Vila Verde. O tiroteio chegou a fechar a auto-estrada Lagoa-Barra.

31 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Andaraí, o soldado Leira e colegas de farda realizavam patrulhamento de rotina na localidade conhecida como Cruzeiro quando foram surpreendidos por um grupo de criminosos que efetuaram diversos disparos contra os PMs e fugiram. Atingido no abdômen, o soldado foi socorrido e levado para o Hospital Federal do Andaraí.

31 de Janeiro: 2 PMs baleados
Lotados no 22º BPM (Benfica), o sargento Valdir um soldado que não teve o nome divulgado foram baleados por criminosos da Favela dos Sem Terra, na entrada da Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio. Os PMs estavam passavam pela Avenida Brigadeiro Trompowsky quando a viatura foi atacada e eles ficaram encurralados. Quando conseguiram sair em direção ao batalhão, foram surpreendidos por criminosos que atiraram do alto de uma laje pela Linha Vermelha. Os dois policiais se jogaram da viatura procurando abrigo e acabaram atingidos na perna.

1º de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 15º BPM (Duque de Caxias), um policial que não teve a patente e nem o nome divulgados foi baleado ao reagir a um assalto, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

1º de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Camarista Méier, o soldado Rogério Rocha dos Santos Júnior morreu após ser baleado ao ter a identidade descoberta durante um assalto em Marechal Hermes, na Zona Norte do Rio. O PM trafegava em seu veículo – um Ford Fiesta – pela Rua Henrique de Albuquerque acompanhado pela esposa quando foi abordado por três criminosos. O crime ocorreu na altura da Rua Xavier Curado. Ao descobrirem que a vítima era policial, os bandidos efetuaram diversos disparos contra ele. Um dos assaltantes foi preso momentos depois. A esposa dele nada sofreu.

2 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), um soldado que não teve o nome divulgado foi baleado enquanto verificava denúncia relativa a tráfico de drogas no bairro Almerinda, em São Gonçalo. Os PMs trafegavam pela Rua Joaquim Rafael quando foram surpreendidos por quatro criminosos que saíram atirando de um beco em duas motos. Os policiais revidaram e houve confronto. Atingido na virilha, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres – mais conhecido como Hospital Geral de São Gonçalo -, no bairro Colubandê. Baleado nos dois braços, um dos criminosos acabou preso ao procurar atendimento médico na mesma unidade de saúde. Ele foi identificado como Vanderson da Silva Castro, 18 anos. Responsável por levá-lo ao hospital, Pablo Roberto Souza, 26, foi preso por conduzir o Celta LOK 0849 – roubado de um PM na área da 76ª DP (Centro de Niterói).

2 de Fevereiro: 1 PFem baleada
Lotada na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Parque Proletário, uma soldado que não teve nome nem idade divulgados foi atingida de raspão durante ataque de traficantes da facção Comando Vermelho (CV). Os criminosos efetuaram disparos contra a base e fugiram.

Soldado PM Alda Rafael Castilho

Soldado PM Alda Rafael Castilho

2 de Fevereiro: 1 PFem morta e 1 PM baleado
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Parque Proletário, a soldado Alda Rafael Castilho, 27 anos, e o soldado Marcelo Gilliard da Silva Miranda, 32, foram atingidos durante novo ataque à base da UPP, no Complexo do Alemão. O ataque foi na Estrada José Rucas. Um casal que estava em uma praça próximo também foram atingidos. Todos foram socorridos e levados para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. A PFem, atingida no abdômen, não resistiu. O soldado, baleado na perna, foi submetido a uma cirurgia e depois transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, na região central do Rio.

Soldado PM Marcelo Gilliard

Soldado PM Marcelo Gilliard

4 de Fevereiro: 2 PMs baleados
Lotados no 41º BPM (Irajá), o sargento Teles e o cabo Mauro foram baleados durante confronto com traficantes da facção criminosa Comando Vermelho (CV) que controlam a venda de drogas no Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, na Zona Norte do Rio. Os PMs realizavam incursão para localizar os envolvidos nos ataques à sede da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Parque Proletário. Na troca de tiros, oito acusados de envolvimento com o tráfico também foram atingidos. Seis deles não resistiram e os outros dois foram socorridos pelos próprios policiais e levados para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes. Os PMs feridos foram conduzidos ao Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. Na ação, os policiais apreenderam quatro fuzis, duas granadas e grande quantidade de drogas.

Sargento PM Carvalho

Sargento PM Carvalho

6 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado no 25º BPM (Cabo Frio), o sargento Roberto Carvalho de Souza, 45 anos, foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam o tráfico de drogas em favelas localizadas no bairro Jardim Esperança. No confronto entre os PMs e os traficantes, três pessoas foram vítimas de bala perdida: uma menina de 1 ano e meio, a mãe dela, identificada como Gracielle Correia de Albuquerque, e um homem de 20 anos. O PM permaneceu internado por mais de duas semanas, mas não resistiu. Ele faleceu no dia 22 de fevereiro.

7 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado no 11º BPM (Nova Friburgo), o recruta Adriano, conhecido como Paleta, foi assassinado ao ter sua identidade descoberta durante assalto em Magé, na Baixada Fluminense. O PM estava na Rua Nossa Senhora da Guia, em Maurimárcia, no bairro de Piabetá, quando foi abordado por três homens armados. Ele havia acabado de cortar o cabelo e saiu do salão de beleza no instante em que os criminosos roubavam uma padaria próxima. No momento em que ele desativou o alarme de seu carro – um Fiat Bravo branco -, os criminosos o abordaram. O soldado entregou as chaves sem reagir, mas acabou baleado pelos bandidos quando eles encontrarem a farda dele no interior do automóvel. Atingido por pelo menos cinco disparos no peito e no rosto, Adriano ainda foi socorrido e levado para o Hospital do Fragoso, mas não resistiu. O trio fugiu no veículo do PM e em um Celta preto, que já havia sido usado em outros assaltos.

7 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado na 1ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (1ª DPJM), o sargento André Luiz Bezerra da Cruz foi baleado durante assalto no Méier, na Zona Norte do Rio. O PM seguia pela Rua José Bonifácio em direção ao trabalho quando foi abordado pelos criminosos, que tentaram levar sua moto. O sargento reagiu e acabou baleado três vezes: duas no tórax e uma na coxa. Os bandidos fugiram levando a arma do PM, que foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho. Ele ainda foi submetido a uma cirurgia, mas não resistiu.

Cabo PM Simão

Cabo PM Simão

8 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado no Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e adido ao Gabinete da Secretaria de Estado de Segurança Pública, o cabo Simão morreu após ser baleado ao ser confundido com um assaltante, no bairro K-11, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Ele fazia a escolta de Marcelo Montanha Souza, chefe de gabinete do secretário José Mariano Beltrame, e também trabalhava na segurança particular do coordenador do AfroReggae, José Júnior. O PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu – mais conhecido como Hospital da Posse -, mas não resistiu. Os disparos teriam sido efetuados pelo segurança de um posto de combustível localizado próximo à Praça do Skate.

12 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 15º BPM (Duque de Caxias), o sargento Mariano foi baleado enquanto realizava patrulhamento de rotina, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Ele e o companheiro de farda foram acionados para verificar uma ocorrência e quando passavam em frente a um dos acessos à Favela do Lixão foram atacados por criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam o tráfico de drogas no local. Atingido por um tiro de fuzil, o PM perdeu a perna e está em coma no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna.

14 de Fevereiro: 1 PC baleado
Um policial civil aposentado que não teve o nome e nem a idade divulgados foi baleado ao impedir um assalto na Tijuca, na Zona Norte do Rio. Ele viu o momento em que um criminoso anunciava o crime, tentando levar a moto de um homem ao lado do Shopping Tijuca, na Avenida Maracanã, e interveio. O policial conseguiu prender Paulo Santos de Souza Lima, 28 anos, mas acabou surpreendido pelo comparsa dele – que atirou contra o agente e conseguiu fugir. Atingido de raspão no abdômen, o policial não corre risco de morte. O preso – que estava em liberdade condicional desde o dia 17 de janeiro – já possuía cinco passagens pela Polícia: quatro por roubo e uma por receptação.

16 de Fevereiro: 3 PMs baleados
Chefe do Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), o coronel Frederico Caldas foi baleado de raspão na cabeça na Favela da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul do Rio. Comandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha, major Priscilla Azevedo, e o sargento Pinto, lotado na unidade, também ficaram feridos por estilhaços.

22 de Fevereiro: 1 PM morto
O sargento PM reformado Robson Silva Gomes morreu após ser baleado durante assalto em Irajá, na Zona Norte do Rio. O PM estava em um bar na Rua Calumbi quando foi abordado pelos criminosos que exigiram seu cordão de ouro. No momento em que o sargento retirava a jóia para entregar, os bandidos notaram a arma que ele carregava na cintura e efetuaram pelo menos três disparos. O PM ainda foi socorrido, mas não resistiu.

23 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 12º BPM (Niterói), um soldado que não teve o nome divulgado foi baleado no bairro Chic, em um dos acessos à Favela Vila Ipiranga, localizada no Fonseca, na Zona Norte de Niterói, durante confronto com criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam o tráfico de drogas na região.

23 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 12º BPM (Niterói), o sargento Primo foi baleado durante confronto com criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam o tráfico de drogas no Morro do Cavalão, em Icaraí, na Zona Sul de Niterói. Atingido na perna, ele foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, na região central do Rio.

joilson

23 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado no 12º BPM (Niterói), o sargento Joilson da Silva Gomes, 40 nos, foi assassinado após sair do batalhão. O PM, que trabalhava no Grupamento de Ações Táticas (GAT) da unidade, havia acabado de sair de serviço e seguia para casa. Ele trafegava pela altura do Morro do Castro, no bairro Tenente Jardim – na divisa entre Niterói e São Gonçalo – quando foi interceptado por criminosos que efetuaram diversos disparos de fuzil contra o carro dele – um Siena branco.

23 de Fevereiro: 1 PM morto
O policial militar reformado Jorge Roberto Feliciano, 58 anos, morreu após ser baleado no bar de sua propriedade, na Vila São Luiz, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Moacyr Rodrigues do Carmo, mas não resistiu.

24 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado no 32º BPM (Macaé), o sargento Fabrício foi morto no posto de ônibus em frente à garagem da viação Trel, no bairro Vila Maria Helena, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

24 de Fevereiro: 1 PM morreu
O sub-tenente reformado Jorge Magalhães, 63 anos, foi baleado ao reagir a um assalto no interior do coletivo da viação Nossa Senhora do Amparo que fazia a linha Castelo-Itaipuaçu. Os bandidos anunciaram o assalto e desviaram o trajeto do ônibus para a Avenida Brasil. O PM reformado tentou atirar nos dois bandidos quando eles anunciaram o assalto, mas a arma dele falhou. O subtenente chegou a lutar com um dos criminosos mas acabou espancado e baleado na cabeça. No veículo havia cerca de 60 passageiros. Os assaltantes desceram na altura de Irajá, na Zona Norte do Rio. Imagens das câmeras do ônibus foram divulgadas mostrando os criminosos em ação, mas até agora nenhum deles foi preso. O PM foi socorrido por uma ambulância do Corpo de Bombeiros e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. Ele permaneceu internado durante três dias, mas não resistiu. O corpo dele foi enterrado no Cemitério do Murundu, em Realengo, na Zona Oeste.

baleados caxias

26 de Fevereiro: 2 PMs baleados
Lotados no 5º BPM (Praça da Harmonia), o sub-tenente Derlei e o cabo Lisboa foram baleados em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Os PMs estavam retornando de missão da P4 (Setor de Manutenção e Logística) do batalhão e foram baleados tentando sair de um engarrafamento. Eles iam fazer um retorno em frente à Favela Beira Mar e ligaram o giroflex e a sirene da viatura para abrir passagem em meio ao trânsito congestionado. Três criminosos que estavam no interior de um carro logo na frente – um Jetta – acharam que seriam abordados e desceram do veículo armados de fuzil e efetuaram diversos disparos contra a viatura. Os PMs não tiveram tempo de reagir. O cabo foi atingido por dois tiros na cabeça e o sub-tenente Derlei foi baleado no ombro. Os dois foram socorridos. O cabo Lisboa está em estado grave. Os bandidos fugiram e abandonaram o carro na Rodovia Washington Luís. Cinco pessoas que estavam em outros automóveis foram atingidas por balas perdidas.

baleados caxias2

28 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Cruzeiro, o soldado Wagner Vieira da Costa, 33 anos, foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que ainda controlam o tráfico de drogas no Complexo do Alemão. O ataque ocorreu na Rua 29, na localidade conhecida como Esquina do Pecado. Socorrido pelos colegas de farda, o PM – que se formou em janeiro e estava em seu quinto serviço – foi levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. Ele ficou internado em estado grave no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) da unidade em estado grave por quase uma semana, mas não resistiu, falecendo na noite do dia 6 de março.

Soldado PM Wagner Vieira da Costa, 33 anos

Soldado PM Wagner Vieira da Costa, 33 anos

28 de Fevereiro: 1 PM morto
O sargento reformado da PM Eduardo Rogério Soares, 48 anos, morreu após ser baleado durante assalto em Itaguaí, na Baixada Fluminense. O PM estava parado em um posto de combusível no KM 398 da BR-101, na altura do Centro, quando foi rendido por dois criminosos. Um dos bandidos percebeu que ele era policial e efetuou um disparo no rosto do sargento, que sequer teve tempo de reagir. Os bandidos retiraram o corpo do PM do carro e fugiram levando o veículo.

2 de Março: 1 PM baleado
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o sargento Mauro da Silva Nascimento foi baleado durante perseguição a assaltantes na Estrada do Sabonete, no bairro Arsenal, em São Gonçalo.

vtr atacada sg

4 de Março: 2 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha, o soldado Rafael Robert, 23 anos, e o soldado Leonardo Juan Amaral Monteiro foram baleados durante um ataque criminoso, na localidade conhecida como Cachopa. Um mototáxi passou com um bandido na garupa que efetuou diversos disparos com uma pistola 9mm contra os policiais, que sequer tiveram tempo de reagir. O ataque ocorreu às 3h50, no momento em que os PMs se preparavam para a rendição. O soldado Rafael Robert foi atingido no braço. Já o soldado Leonardo Juan foi baleado na barriga. O tiro transfixou o colete que ele usava, mas, segundo médicos responsáveis pelo atendimento, não atingiu nenhum órgão. Ele permanece internado no Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea.

Soldado PM Rodrigo Paes Leme, 28 anos

Soldado PM Rodrigo Paes Leme, 28 anos

6 de Março: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, o soldado Rodrigo Paes Leme, 33 anos, morreu após ser baleado por criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que ainda controlam o tráfico de drogas no Complexo do Alemão na Rua 2, próximo ao Largo da Alvorada. O PM foi atingido por dois tiros no peito e, mesmo de colete, não resistiu.

8 de Março: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Caju, o soldado Titus Lucius Bessa de Farias, 31 anos, morreu ao ser identificado como policial durante um arrastão em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Morador do município, o PM seguia em seu carro pela Rua Silva Fernandes, no bairro Parque Duque, quando se deparou com os assaltantes, próximo à sede da Guarda Municipal. Ele ainda escondeu sua arma, mas os bandidos a encontraram e efetuaram dois disparos contra a cabeça do soldado, que morreu na hora. Ele estava há dois anos na corporação.

Soldado PM Arthur Salgado

Soldado PM Arthur Salgado

9 de Março: 1 PM baleado
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo) e trabalhando no Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) do Jóquei, o soldado Arthur Salgado foi baleado na Favela da Linha, no bairro Rio do Ouro, em São Gonçalo. Ele e os colegas de farda foram em apoio a uma guarnição que estava em ocorrência de recuperação de veículo. Os PMs já estavam fora da viatura quando foram atacados. Eles contaram que foram dezenas de disparos, de fuzis e pistolas. Atingido por um tiro que entrou na altura do peito e perfurou um pulmão, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres – mais conhecido como Hospital Geral de São Gonçalo -, no Colubandê. Os médicos responsáveis pelo atendimento acreditam que o tiro que o atingiu é de pistola .40.

Aspirante a oficial Leidson Acácio, 26 anos

Aspirante a oficial Leocádio Acácio, 26 anos

12 de Março: 1 PM morto
Sub-comandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Vila Cruzeiro, o aspirante Leidson Acácio, 26 anos, morreu no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, na Zona Norte do Rio, para onde foi levado após ser baleado em ataque na Rua 10, próximo à localidade conhecida como Parque Proletário. O PM estava há três meses na rua.

13 de Março: 1 PM baleado
Lotado no Serviço de Inteligência (P-2) do 25º BPM (Cabo Frio), um policial que não teve o nome divulgado foi baleado enquanto verificava denúncias em Cabo Frio, na Região dos Lagos. Os PMs faziam um trabalho de investigação no bairro Monte Verde quando foram surpreendidos por três homens armados. Houve troca de tiros e o PM foi atingido no ombro. Um dos bandidos foi preso com um revólver e 32 pedras de crack.

15 de Março: 1 PM morto
Lotado no 15º BPM (Duque de Caxias), o cabo Pereira morreu ao ser baleado durante confronto com assaltantes, na Rodovia Washington Luiz, na altura de Santa Cruz da Serra, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Ele realizava patrulhamento de rotina acompanhado pelo colega de farda quando estranhou a movimentação dentro de uma agência do banco HSBC. Os PMs se aproximaram e acabaram flagrando um grupo que utilizava um maçarico para arrombar um dos caixas eletrônicos. Houve troca de tiros e o cabo foi atingido no peito. Dois dos bandidos também foram baleados. Os três foram socorridos e levados para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, mas o PM não resistiu.

15 de Março: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Mangueira, o soldado Leonardo Nascimento, 27 anos, foi morto ao ser identificado como policial, em Cordovil, na Zona Norte do Rio. O PM – que tinha comemorado aniversário no dia 12 – saía de uma festa na Rua Tenente Palestrine, e conversava com amigos na calçada quando bandidos passaram em um carro e um deles gritou: “perdeu, ô políça”. O soldado sequer teve tempo para se abrigar ou reagir. Ele chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu. No tiroteio, um amigo do PM também foi atingido. Uma amiga sofreu ferimentos ao se jogar no chão para se proteger. Nenhum dos dois corre risco de morte.

15 de Março: 1 PM baleado
Lotado no 14º BPM (Bangu), um policial que não teve patente e nem nome divulgados foi baleado durante confronto com criminosos da facção Terceiro Comando Puro (TCP) que controlam o tráfico de drogas na Favela Vila Aliança, em Bangu, na Zona Oeste do Rio.

Capitão PM Gabriel de Toledo

Capitão PM Gabriel de Toledo

20 de Março: 1 PM baleado
Comandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) de Manguinhos, o capitão Gabriel de Toledo foi baleado durante ação de bandidos. Além de efetuar tiros contra os policiais da UPP, os criminosos incitaram moradores da região para interditar a Rua Leopoldo Bulhões. Horas depois, o contêiner e viaturas da UPP Mandela/Arará – também no Complexo de Manguinhos – foram incendiados. Atingido na perna, o oficial foi socorrido e levado para o Hospital Federal de Bonsucesso, sendo transferido posteriormente para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, na região central do Rio.

20 de Março: 2 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Alemão, dois soldados que não tiveram os nomes divulgados foram baleados durante confronto na localidade do Areal. Os PMs realizavam patrulhamento de rotina quando foram surpreendidos por um grupo de cerca de 15 traficantes. Após o confronto, equipes do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), que estão reforçando a segurança na região desde a última semana, realizaram buscas para prender os bandidos, mas eles não foram localizados. Os soldados foram socorridos e levados para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, na região central do Rio, e não correm risco de morte.

Sargento PM Maurício Pedro da Silva, 44 anos

Sargento PM Maurício Pedro da Silva, 44 anos

22 de Março: 1 PM morto
Lotado no 14º BPM (Bangu), o sargento Maurício Pedro da Silva, 44 anos, morreu após ser baleado durante perseguição a dois criminosos, em Magalhães Bastos, na Zona Oeste do Rio. Integrante do Grupamento de Ações Táticas (GAT) da unidade, o sargento P da Silva realizava patrulhamento de rotina com os colegas de farda quando desconfiaram de dois homens em uma moto, próximo à Estrada General Canrobert da Costa. A dupla desobedeceu a ordem de parada e deu início a uma perseguição com troca de tiros até a Rua Pinto da Fonseca, onde o PM foi atingido. O local dá acesso à Favela Curral das Éguas. Socorrido, o sargento foi levado para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo, mas não resistiu.

22 de Março: 1 PM baleado
Lotado no 4º BPM (São Cristóvão), o cabo Gerson Siqueira Bastos foi baleado durante uma tentativa de assalto em Barros Filho, na Zona Norte do Rio. O PM estava acompanhado pela esposa e trafegava próximo a um dos acessos ao Morro do Chaves quando foi abordado pelos criminosos. Os dois foram atingidos e levados para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes. A mulher não sofreu ferimentos graves. O policial foi submetido a uma cirurgia e transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, na região central do Rio.

25 de Março: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Jacarezinho, o soldado Daniel da Silva Altino foi baleado durante um assalto na Rua Arari, em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio. Ele estava de folga e passava pela região quando foi surpreendido por criminosos. Os bandidos levaram a arma, a carteira e o carro do PM. O veículo foi recuperado minutos depois na Rua Celso de Melo por uma equipe do 14ºBPM (Bangu). Atingido no abdômen, o soldado foi levado para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo.

26 de Março: 1 PM baleado
Lotado no 18º BPM (Jacarepaguá), um policial militar que não teve o nome e nem a patente divulgados foi baleado na perna durante uma tentativa de assalto, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. O PM trafegava em sua moto pela Estrada dos Três Rios quando foi abordado pelos criminosos. Socorrido, ele foi levado ao Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.

Sargento PM Douglas Alves dos Santos

Sargento PM Douglas Alves dos Santos

26 de Março: 1 PM morto
Lotado no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o sargento Douglas Alves dos Santos morreu após ser baleado ao reagir a um assalto no bairro Ampliação, em Itaboraí. O PM trafegava com sua moto pela Avenida Amélia Saraiva quando foi abordado por homens armados que saíram de um Astra prata. Ele ainda trocou tiros com os bandidos, mas foi atingido na cabeça e não resistiu.

camaro

28 de Março: 1 PM morto
Lotado no 5º BPM (Praça Harmonia), o sargento Mozart Soares da Cunha, 41 anos, morreu após ser baleado ao tentar reagir a um assalto, no bairro Coelho Neto, na Zona Norte do Rio. Proprietário da empresa “O crack da cesta” – especializada no comércio de cestas básicas – o PM conduzia seu Camaro amarelo placa LQT 7693 pela Rua Bertin, próximo à saída para a Avenida Brasil, quando foi abordado. O sargento ainda trocou tiros com os bandidos, mas foi atingido no confronto. Os criminosos fugiram levando a arma dele e R$ 100 mil. A empresa do PM fica localizada na Rua Aratimbó, em Cosmos, na Zona Oeste do Rio. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, mas não resistiu.

Soldado PM Marcelo Poydo

Soldado PM Marcelo Poydo

29 de Março: 1 PM morto
Lotado no 41º BPM (Irajá), o soldado Marcelo Poydo foi baleado na Favela da Picap, no bairro Jardim América, na Zona Norte do Rio. Integrante da equipe do Patrulhamento Tático Móvel (Patamo) Industrial, o PM e os colegas de farda realizavam patrulhamento de rotina quando a viatura em que estavam foi atacada por criminosos que estavam em uma laje. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes. Ele não resistiu e morreu, cinco dias depois.

31 de Março: 2 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Jacarezinho, os soldados Gustavo Cordeiro, 28 anos, e Moura – que fazem parte do grupo que reforça o policiamento no Complexo do Alemão devido aos recentes ataques às UPPs da região – foram baleados durante confronto na localidade conhecida como Areal, na Favela Nova Brasília. Enquanto Cordeiro foi atingido no nariz e ficou com a bala alojada no pescoço, Moura foi baleado no braço. Quando conseguiram ser socorridos os dois foram levados para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Alemão, mas o primeiro foi posteriormente conduzido ao Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

31 de Março: 1 PM baleado
Lotado no Gabinete do Comando Geral, um sargento que não teve o nome divulgado foi baleado durante tentativa de assalto no Centro de Itaguaí, na Baixada Fluminense. Abordado por dois criminosos na Rua Cordeiro Cavalcante, no Centro, o PM reagiu e conseguiu atingir um deles – que morreu no local. O segundo bandido, identificado como Haroldo Delgado dos Santos Júnior, 33 anos, foi preso. O sargento apreendeu uma pistola .40 e recuperou um carro roubado que foi utilizado pelos assaltantes na ação. O policial foi socorrido e levado para o Hospital Municipal São Francisco Xavier.

1º de Abril: 1 PM morto
Lotado na Secretaria de Segurança Pública, o sargento Ricardo Oliveira Pinto morreu após ser baleado ao tentar reagir a um assalto, em Honório Gurgel, na Zona Norte do Rio. O PM havia acabado de deixar a filha na escola e passava pela esquina das ruas dos Diamantes e Jones Rocha quando foi rendido por três homens. O sargento ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, mas não resistiu.

pm itaperuna

2 de Abril: 1 PM baleado
Lotado no 29º BPM (Itaperuna), o sargento Rildo foi baleado enquanto apurava denúncia relativa a tráfico de drogas no município de Laje de Muriaé. Após receber a informação de que criminosos iriam receber uma carga de drogas, os PMs foram ao local e o sargento acabou atingido na perna durante ataque de um traficante de 15 anos de idade.

2 de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha, o soldado Gomide foi baleado durante ataque de dois criminosos que passaram em uma moto atirando contra um grupo de PMs que estava na localidade conhecida como Cachopa. Atingido de raspão na altura da coxa por um tiro de 9mm, foi socorrido pelos colegas e levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea.

Sargento PM Alexander Costa de Almeida, 36 anos

Sargento PM Alexander Costa de Almeida, 36 anos

3 de Abril: 1 PM morto
Lotado no 9º BPM (Rocha Miranda), o sargento Alexander Costa de Almeida, 36 anos, morreu no Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, para onde foi levado após ser baleado na porta de casa, em Bento Ribeiro, na Zona Norte do Rio.

cpp

7 de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) de Manguinhos, um soldado que não teve o nome divulgado foi atingido na mão durante um disparo acidental efetuado na sede do Comando de Polícia Pacificadora (CPP), em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Socorrido pelos próprios colegas de farda, ele foi levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, na região central do Rio.

7 de Abril: 1 PM baleado
Lotado no 4º BPM (São Cristóvão), um policial que não teve nome e nem patente divulgados foi baleado durante confronto com assaltantes, em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio. Ele e um colega de farda realizavam patrulhamento de rotina quando se depararam com uma dupla que havia acabado de praticar uma saidinha de banco – quando a vítima é seguida e assaltada após efetuar saque em agência bancária ou caixa eletrônico. Os bandidos, que estavam em uma moto, roubaram R$ 30 mil de funcionários de uma papelaria na saída do Itaú da Rua Figueira de Melo. Houve confronto e além do PM, os dois assaltantes também foram atingidos. O policial foi socorrido e levado para o Hospital Quinta D’Or, no próprio bairro. Já os criminosos foram conduzidos ao Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, onde permaneceram internados sob custódia.

Soldado PM Falco dos Santos Barreto, 23 anos

Soldado PM Falco dos Santos Barreto, 23 anos

7 de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha, o soldado Falco dos Santos Barreto, 23 anos, foi sequestrado, torturado e baleado por criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam o tráfico de drogas na localidade conhecida como Arrastão, em São Gonçalo. Atingido por pelo menos oito disparos – sendo sete na perna e um no braço – ele se jogou em uma ribanceira para tentar escapar e ficou cerca de 14 horas escondido no meio do mato aguardando socorro. O soldado – que também é baixista em uma banda gospel – foi abordado pelos bandidos na RJ-106 (Tribobó-Maricá) e levado para o interior da favela.

8 de Abril: 1 PM baleado
O subtenente reformado Carlos Alberto Braga Perna, 54 anos, foi baleado durante discussão em sua firma de segurança, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O supervisor da empresa – chamada Arjo -, Leonardo Martins da Costa, 36 anos, chamou o empregado Rogério Honorato Ramos, 25 – que trabalhava como porteiro no Hospital Quinta D’Or, em São Cristóvão, e o questionou sobre sua participação no assalto à cantina da unidade. Ao ser acusado do crime, o porteiro sacou uma pistola calibre 40 e disparou tiros que atingiram a cabeça e a barriga do supervisor. O PM, que também estava na sala, foi baleado no pescoço.

8 de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Jacarezinho, o sodado Rodrigo Taboas Mendes foi baleado durante confronto na localidade conhecida como Avenida Central, no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. O PM é um dos policiais de outras UPPs que estão sendo deslocados para reforçar, na segunda folga, o policiamento nas bases do Alemão. Atingido no braço, ele foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Penha, sendo posteriormente transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, na região central do Rio.

Soldado PM Raphael Cabral Bonfim, 26 anos

Soldado PM Raphael Cabral Bonfim, 26 anos

9 de Abril: 1 PM baleado
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o soldado Raphael Cabral Bonfim, 26 anos, foi baleado durante confronto com criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam as bocas-de-fumo do Morro do Querosene, no Complexo do Mutuapira, no bairro de mesmo nome, em São Gonçalo. A troca de tiros ocorreu durante incursão de agentes do Serviço de Inteligência (P-2) da unidade. Os PMs verificavam denúncias relativas ao tráfico de drogas na região quando foram surpreendidos pelos bandidos. Atingido na perna, o PM foi socorrido pelos próprios colegas e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres – mais conhecido como Hospital Geral de São Gonçalo -, no bairro Colubandê.

Cabo PM Luiz Antônio

Cabo PM Luiz Antônio

15 de abril: 1 PM baleado
Lotado no Serviço de Inteligência (P-2) do 7º BPM (São Gonçalo), o cabo Luiz Antônio foi atingido no abdômen durante confronto no Complexo do Salgueiro, no bairro de mesmo nome, em São Gonçalo. O tiro foi amortecido pelo colete que o policial usava. Os agentes realizavam incursão na localidade conhecida como Curral quando foram atacados por criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam as bocas-de-fumo da região. Dois criminosos foram presos e os PMs também apreenderam um fuzil AR 15 e 1.230 pinos de cocaína na ação.

17 de Abril: 2 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Alemão, os soldados Leandro Ramos e Jesuíno foram baleados durante confronto com criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que ainda controlam o tráfico de drogas no Complexo do Alemão. O tiroteio começou na Favela Nova Brasília e os PMs foram atingidos no Beco do Sabino, já no Alemão. O primeiro foi baleado na coxa e o segundo no pé. Socorridos para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Penha, eles foram posteriormente transferidos para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, na região central do Rio.

17 de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha, um sargento foi baleado no pé, durante tentativa de assalto em Vilar dos Teles, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O PM estava a pé na Rua Antônio Garcia, quando foi abordado pelos criminosos. O sargento foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, na região central do Rio.

18 de Abril: 1 PM baleado
Lotado no 20ºBPM (Mesquita), o cabo Alex de Souza Barros foi baleado durante perseguição a assaltantes, no bairro da Posse, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O PM e o colega de farda, sargento Huguenin, realizavam patrulhamento de rotina quando se depararam com o Fiat Palio azul placa GSM 5856, na Rua Luís de Lemos. Os policiais solicitaram que o veículo parasse e foram surpreendidos pela fuga do mesmo, que virou à direita entrando na Rua Quinze de Novembro, dando início a uma perseguição. Assim que entraram na via, atrás do automóvel, os PMs foram atacados pelos ocupantes do carro, que efetuaram diversos disparos contra a viatura. O cabo S. Barros foi atingido no rosto, na altura do queixo. Socorrido, foi levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu. O Palio foi abandonado no encontro dv Rua Pedro Vieira com Estrada da Guarita. O proprietário dele compareceu à 58ª DP (Posse) e contou que havia sido roubado por três bandidos – estando um armado com um fuzil e outro empunhando uma pistola.

20 de Abril: 1 PM baleado
Lotado no 20º BPM (Mesquita), o cabo Flávio Soares de Souza, 33 anos, foi baleado ao ser reconhecido por um criminoso a quem já havia tentado prender. O PM estava em uma lanchonete na esquina das ruas da Verdade e Prefeito José Montes Paixão – antiga Rua Emílio Guadagny –, no Centro de Mesquita, na Baixada Fluminense, quando foi surpreendido pelos dois ocupantes de uma moto. Um deles seria o traficante conhecido como Foca da Chatuba. O policial foi atingido por um tiro na clavícula e outro ao lado da bacia. Submetido a uma cirurgia, ele foi transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, na região central do Rio. De acordo com os médicos responsáveis pelo atendimento, o PM está sem movimento na perna, mas ainda não se sabe se a condição será permanente.

Sargento PM Alexandre Nascimento Braga, 40 anos

Sargento PM Alexandre Nascimento Braga, 40 anos

21 de Abril: 1 PM baleado
Lotado no 35º BPM (Itaboraí), o sargento Alexandre Nascimento Braga, 40 anos, foi sequestrado por traficantes na porta de casa, na Rua Lourenço da Mata, no bairro Itaúna, em São Gonçalo, e levado para dentro do Complexo do Salgueiro – onde as bocas-de-fumo são controladas por criminosos da facção Comando Vermelho (CV). O PM tinha acabado de sair de sua residência, quando se deparou com criminosos abandonando um carro roubado em sua rua. Os bandidos se assustaram e efetuaram diversos disparos contra ele, que entrou em casa para buscar a arma mas, ao lembrar que os filhos estavam no imóvel, resolveu sair e se render. Moradores que presenciaram a cena avisaram ao 7º BPM (São Gonçalo), que montou uma operação e conseguiu resgatar o sargento – que estava trabalhando na Força Nacional de Segurança (FNS) até o mês de março – no Lixão. Socorrido, foi levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê.

22 de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Nova Brasília, um tenente que não teve o nome divulgado foi baleado de raspão no braço durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que ainda controlam o tráfico de drogas no Complexo do Alemão. Socorrido, ele foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Penha e liberado após receber atendimento médico.

22 de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Nova Brasília, o soldado Rafael Borges foi baleado no joelho após ficar encurralado com os colegas de farda na localidade conhecida como Chuveirinho, próximo ao Beco do Sabino. O PM só conseguiu ser retirado da favela para ser socorrido com ajuda do Grupamento de Ações Táticas (GAT) do 16º BPM (Olaria), cerca de 50 minutos depois. Ele foi conduzido ao Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

Inspetor da Polícia Civil Ricardo Costa, 36 anos

Inspetor da Polícia Civil Ricardo Costa, 36 anos

26 de Abril: 1 PC baleado
Lotado na 54ª DP (Belford Roxo), o inspetor Ricardo Costa, 36 anos, saía de um plantão no Regime Adicional de Serviço (RAS) quando foi abordado por assaltantes, no viaduto de Vila Rosali, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Ele reagiu e houve troca de tiros. Os bandidos roubaram um táxi e fugiram em direção ao Morro do Chapadão, em Costa Barros, na Zona Norte do Rio. O policial foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, onde permanece internado.

30 de Abril: 1 PM baleado
Lotado no 40º BPM (Campo Grande), um sargento que não teve o nome e nem a idade divulgados foi baleado por assaltantes que tentaram roubar o carro de uma professora, no Centro Integrado de Educação Pública (Ciep) Hélio Pellegrino, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. A professora estava entrando na escola, localizada na Estrada Guandu do Sapê, quando foi abordada por quatro criminosos que estavam em um Citroën C3 cinza anunciaram o assalto, tentando levar o Fiat Punto branco dela. Ao perceber a ação criminosa, os dois PMs que cumpriam serviço na unidade de educação pelo Programa Estadual de Integração na Segurança (PROEIS) reagiram e houve troca de tiros. Atingido na perna, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Rocha Faria. Os bandidos conseguiram fugir.

Soldado PM Naércio Farias do Nascimento Neto, 24 anos

Soldado PM Naércio Farias do Nascimento Neto, 24 anos

30 de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Cerro Corá, o soldado Naércio Farias do Nascimento Neto, 24 anos, foi baleado em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, onde ele mora. O PM estava em uma padaria na divisa do município com Nilópolis acompanhado por outros três PMs quando criminosos armados entraram no estabelecimento. Apenas um dos policiais estava armado e reagiu. Na troca de tiros, além do soldado – que está há apenas três meses na corporação -, o comerciante também ficou ferido. Ele foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, onde permanece internado em estado grave.

30 de Abril: 3 PMs baleados
Lotados no Batalhão de Operações Especiais (Bope), o cabo Robson Henriques da Silva e os soldados Paixão e Ângelo foram baleados durante confronto com traficantes da facção criminosa Comando Vermelho (CV) que ainda controlam o tráfico de drogas no Complexo do Alemão. A troca de tiros ocorreu na Favela Nova Brasília. Os dois primeiros foram atingidos na perna e o último de raspão na testa. Todos foram socorridos e levados para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, onde receberam atendimento médico e foram liberados em seguida.

Soldado PM Alisson Sturião Araújo

Soldado PM Alisson Sturião Araújo

1º de Maio: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Alemão, o soldado Alisson Sturião Araújo foi baleado na localidade conhecida como Ping Pong, próximo ao Largo do Mineiro, na Favela Nova Brasília. Ele e os companheiros de farda realizavam patrulhamento de rotina quando se depararam com um grupo de homens armados que atiraram contra os PMs. Socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. Atingido no rosto, ele ficou com a bala alojada no maxilar e foi submetido a uma cirurgia para retirada do projétil.

1º de Maio: 1 PM baleado
Um subtenente que não teve lotação e nem nome divulgados foi baleado ao reagir a assalto, em Rocha Miranda, na Zona Norte do Rio. Dois criminosos abordaram o PM, que conseguiu atingir os dois. Um deles morreu no local e o outro conseguiu fugir mesmo ferido. Baleado na barriga, o subtenente foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), sendo posteriormente transferido para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier.

2 de Maio: 1 PM baleado
Lotado no Serviço de Inteligência (P-2) do 7º BPM (São Gonçalo), o sargento Neves foi baleado no ante-braço durante confronto com criminosos que praticavam assaltos na RJ-106 (Tribobó-Maricá), em frente a um dos acessos à Favela da Linha, no bairro Rio do Ouro, em São Gonçalo. Responsável pelo disparo, um menor de 15 anos conhecido como Avatar foi apreendido. Ele estava com uma pistola e já havia sido capturado há pouco mais de um mês, quando atingiu um outro PM. Socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, ele foi submetido a uma cirurgia no cotovelo.

Sargento PM Wallace Carlos Pourchet, 36 anos

Sargento PM Wallace Carlos Pourchet, 36 anos

3 de Maio: 1 PM morto
Lotado no 16º BPM (Olaria) e trabalhando no Auxílio à Polícia de Trânsito (APTran) da unidade, o sargento Wallace Carlos Pourchet, 36 anos, morreu após ser baleado e capotar com o carro tentando fugir de criminosos que o perseguiam na Linha Amarela. O PM capotou na altura da saída 8 da via, no sentido Barra da Tijuca. Os peritos que estiveram no local afirmaram que a maioria dos tiros foi efetuada pelo PM de dentro de seu veículo, durante a perseguição. Antes de capotar, o policial chegou a bater com seu automóvel em uma mureta.

6 de Maio: 1 PM baleado
Lotado no 20º BPM (Mesquita), o sargento Valdomiro Francisco dos Santos, 37 anos, foi baleado durante perseguição a assaltantes, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Atingido no olho, ele está com a bala alojada na garganta. Socorrido, foi levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, e não consegue ser transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

Tenente PM Anderson João de Oliveira, 34 anos

Tenente PM Anderson João de Oliveira, 34 anos

7 de Maio: 1 PM morto
Lotado no 15º BPM (Duque de Caxias), o tenente Anderson João de Oliveira, 34 anos, morreu no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, para onde foi levado após ser baleado durante tentativa de assalto na porta da casa da sogra, no bairro Jardim Anhangá, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

vivi

12 de Maio: 2 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, os soldados Paulo Victor e Lima foram baleados durante confronto com traficantes da facção criminosa Comando Vermelho (CV) que ainda controlam bocas-de-fumo em diversas partes do Complexo do Alemão. A troca de tiros ocorreu na localidade conhecida como Largo da Vivi. As marcas dos disparos ficaram em veículos parados no local, postes e paredes. Um dos PMs foi atingido no braço e o outro na perna. Os dois receberam atendimento médico na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Itararé, sendo liberados em seguida.

pm2

14 de Maio: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Jacarezinho, o soldado Thiago foi baleado durante tentativa de assalto sofrida na porta de sua residência, na Vila da Penha, na Zona Norte do Rio. O PM saía para o serviço, quando foi surpreendido por dois bandidos em uma moto que se aproveitaram do momento em que ele fechava o portão da garagem para anunciar o assalto. Um dos criminosos desceu da moto com um revólver calibre 38 em punho e gritando “perdeu, perdeu”. O PM disse que entregava tudo, mas, com a calça da farda e coturno, acabou reconhecido pelo outro assaltante, que gritou que ele era polícia. Neste momento o soldado se atracou com o bandido armado, que efetuou dois disparos – um atingiu a perna do PM e o outro acertou o próprio abdômen. O condutor da moto desceu do veículo para resgatar o comparsa e o policial foi socorrido por familiares e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, sendo posteriormente transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

14 de Maio: 1 PM baleado
Lotado no 21º BPM (São João de Meriti), o soldado Felipe Queiroz Valente, 22 anos, foi baleado durante troca de tiros com assaltantes, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O confronto ocorreu próximo a um dos acessos ao Morro da Caixa D’Água, para onde cinco criminosos – em uma Van e uma Fiorino – tentaram fugir após roubar uma carga de cigarros. No confronto, dois bandidos também foram atingidos. Um deles morreu no local e outro está internado sob custódia no Posto de Atendimento Médico (PAM) de Meriti. Outros dois assaltantes também foram presos e o quinto conseguiu fugir. Os PMs apreenderam duas pistolas, dois fuzis e dois coletes balísticos e recuperaram parte da carga. Atingido na perna, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

15 de Maio: 1 PM baleado
Lotado no 21º PM (São João de Meriti), o soldado Luís Cláudio Mendes de Lacerda, 31 anos, foi baleado ao tentar impedir um assalto a um caminhão das Casas Bahia, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O PM trafegava em seu veículo pela Rua Getúlio Vargas, no Centro, quando percebeu a ação dos criminosos. Socorrido, o soldado recebeu os primeiros atendimentos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Meriti e foi posteriormente transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

15 de Maio: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o soldado Vagner Alves Casalles foi atingido na perna durante tentativa de assalto.

Sargento PM Borges

Sargento PM Borges

16 de Maio: 1 PM baleado
Lotado no 22º BPM (Benfica), o sargento Borges foi baleado na perna ao tentar impedir um assalto a um carro que transportava uma carga de cigarros da empresa Souza Cruz, no bairro Saracuruna, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

pm

16 de Maio: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Nova Brasília, o soldado Vitor foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão. Uma equipe de PMs foi checar denúncia relativa à perturbação do sossego na localidade conhecida como Praça do Terço e acabou recebida a tiros. O soldado, que estava na retarguada, foi atingido de raspão na cabeça. Socorrido, ele foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Itararé e depois encaminhado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, por falta de vagas no Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

Soldado PM Bruno Paolo dos Santos Couto

Soldado PM Bruno Paolo dos Santos Couto

18 de Maio: 1 PM morto
Lotado na Coordenadoria Especializada de Tecnologia da Informação e Comunicação (CETIC) do Quartel General (QG) da corporação, o soldado Bruno Paolo dos Santos Couto foi encontrado morto no interior de sua residência, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Ao lado do corpo do PM estava o da namorada dele. O crime ocorreu na Avenida Délio Guaraná, no bairro Éden, e ainda estão sendo investigadas as circunstâncias das mortes.

18 de Maio: 1 PM morto
Lotado no 4º BPM (São Cristóvão), o sargento Fábio da Silva Santos morreu ao reagir a um assalto, na Avenida Henrique Duque Estrada Mayer, no bairro Ambaí. Os criminosos fugiram levando a arma do PM e sua carteira funcional.

vtr

19 de Maio: 1 PM baleado
Lotado no 41º BPM (Irajá), um policial, que não teve o nome divulgado, estava na viatura que trafegava pela Avenida Brasil, na altura de Irajá, na Zona Norte do Rio, quando foi atacada por criminosos armados. Atingido na boca e no braço, o PM foi socorrido e levado para o hospital. Os bandidos foram presos e conduzidos à 39ª DP (Pavuna).

19 de Maio: 1 PM baleado
Lotado no 12º BPM (Niterói), o soldado Tiago Guimarães, 29 anos, foi baleado por criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam o tráfico de drogas na Favela do Inferninho, em Piratininga, na Região Oceânica de Niterói. Socorrido pelos colegas de farda, foi levado para o Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca. Atingido na região glútea, o PM está sendo submetido a uma cirurgia e corre o risco de perder o baço.

20 de Maio: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Fallet, o cabo Warley foi baleado na mão durante confronto com criminosos que ainda controlam o tráfico de drogas no local. Os PMs chegaram a ficar encurralados no alto do Morro do Fogueteiro e foi necessário chamar reforço.

20 de Maio: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Cidade de Deus, o sargento Lisboa, que é motorista da Supervisão, foi baleado na perna durante confronto com criminosos. O PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, também na Zona Oeste do Rio.

21 de Maio: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Nova Brasília, o soldado Fernandes foi baleado no rosto no momento em que criminosos da facção Comando Vermelho (CV) atacaram a viatura em que ele e outro PM estavam. O ataque ocorreu próximo à localidade conhecida como Beco do Galinheiro. Levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPP), o soldado foi transferido para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

Tenente-coronel PM André Henrique de Oliveira da Silva

Tenente-coronel PM André Henrique de Oliveira da Silva

22 de Maio: 2 PMs baleados e 1 PM morto
Lotados no 34º BPM (Magé), três policiais foram baleados durante confronto na Favela da Lagoa, em Magé, na Baixada Fluminense. Um deles é o comandante da unidade, tenente-coronel André Henrique de Oliveira da Silva. O oficial foi atingido na mão, enquanto o subtenente Hebson e o cabo Fábio Mello da Silva, 38 anos, foram baleados no ombro e no rosto, respectivamente. Eles foram socorridos e levados para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, em Duque de Caxias, também na Baixada. O cabo Mello não resistiu aos ferimentos e faleceu na unidade de saúde.

Cabo PMERJ Fábio Mello da Silva, 38 anos

Cabo PMERJ Fábio Mello da Silva, 38 anos

25 de Maio: 1 PM baleado
Lotado no 20º BPM (Mesquita), o sargento Huguenin foi baleado ao reagir a assalto próximo à sua residência, no bairro Jardim Esplanada, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Atingido na perna, o PM conseguiu atingir um dos bandidos, que morreu no local. O sargento foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse.

25 de Maio: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Cidade de Deus, o cabo Vinícius Salles de Oliveira estava de serviço quando criminosos passaram efetuando disparos contra a base, na Rua Edgard Werneck, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Atingido no braço, o PM foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Cidade de Deus, sendo posteriormente transferido para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.

26 de Maio: 1 PM morto
Lotado no 40º BPM (Campo Grande), o sargento Marco Aurélio da Silva do Nascimento, 42 anos, foi baleado durante assalto em sua residência, em Guaratiba, na Zona Oeste do Rio. O PM, que está cedido ao Batalhão de Campanha da Maré, foi atingido na cabeça. Socorrido, foi levado para o Hospital Estadual Rocha Faria. Os criminosos fugiram levando um revólver calibre 38 e uma pistola .40 do imóvel, localizado na Rua Abílio Barreto. O sargento chegou a ficar trinta dias internado, mas não resistiu aos ferimentos.

26 de Maio: 1 PM baleado
Lotado no 18º BPM (Jacarepaguá), o sargento Marcelo Santana foi baleado ao reagir a um assalto na Estrada do Campinho, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. O PM, que estava a caminho do batalhão para assumir o serviço, foi atingido no peito. O sargento foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Rocha Faria, também em Campo Grande.

26 de Maio: 1 PM baleado
Lotado no 18º BPM (Jacarepaguá), o cabo Santoro foi baleado ao reagir a uma saidinha de banco – quando a vítima é seguida e assaltada após efetuar saque em agência bancária ou caixa eletrônico – no bairro Pechincha, na Zona Oeste do Rio. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.

28 de Maio: 1 PC baleado
Lotado na 89ª DP (Resende), o policial civil Alexandre Gonçalves de Carvalho, 52 anos, foi baleado ao reagir a uma tentativa de assalto, na RJ-145, em Valença. O agente conduzia seu veículo pela rodovia quando foi abordado por três criminosos que fecharam seu automóvel. Atingido no abdômen, o policial ainda conseguiu continuar dirigindo até o Hospital Escola de Valença, onde permanece internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI). Na fuga, um dos assaltantes roubou outro carro, mas o abandonou ao bater em um obstáculo na via. O trio conseguiu fugir por um matagal às margens da estrada.

Sargento PM Robson Vaz Loiola

Sargento PM Robson Vaz Loiola

2 de Junho: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotado no 20º BPM (Mesquita), o sargento Fábio Gregório Antero da Silva foi baleado durante ocorrência para verificar denúncia de assalto em uma residência no bairro Austin, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O PM e colegas de fardas, que trabalham no Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) do bairro, se dirigiram à Rua Ramos de Castro e acabaram surpreendidos pelos assaltantes, que estavam fortemente armados na casa de um comerciante de 62 anos. Os bandidos efetuaram diversos disparos contra os policiais, que revidaram. Morador do local, o sargento Robson Vaz Loiola – lotado no Serviço de Inteligência (P-2) do 39º BPM (Belford Roxo) e que estava de folga – ouviu o barulho dos tiros e ao sair de sua residência para auxiliar os outros PMs, acabou atingido no pescoço. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, mas não resistiu. Quatro dos criminosos também morreram.

2 de Junho: 1 PC baleado
Lotado na 41ª DP (Tanque), o policial civil Carlos Anderson Basílio foi baleado no joelho durante confronto com traficantes da facção criminosa Comando Vermelho (CV) que estão controlando as bocas-de-fumo no Morro do Banco, no Itanhangá, na Zona Oeste do Rio. O inspetor fazia parte do reforço a operação da 16ª DP (Barra da Tijuca) para resgatar o corpo de Joel José Luis Júnior, que teria sido morto depois de entrar na comunidade para tentar recuperar sua moto que havia sido roubada. Além de equipes de outras delegacias, agentes da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core) também davam apoio à ação. Ele foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.

2 de Junho: 2 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Alemão, os soldados Otávio Augusto Nogivo Ribeiro Ferro e Thiago Santos Fernandes da Silva foram baleados durante confronto com criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas na região. Enquanto o soldado Ferro foi atingido no joelho esquerdo, o soldado Fernandes foi baleado na panturrilha e sofreu fratura da tíbia. A troca de tiros ocorreu na localidade conhecida como Largo do Bulufa, na Favela da Grota. Os PMs foram socorridos e levados para a Policlínica Rodolpho Rocco – ex-Posto de Atendimento Médico (PAM) de Del Castilho.

6 de Junho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Alemão, um soldado que não teve o nome e idade divulgados foi baleado durante confronto com criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas na região. Os PMs realizavam patrulhamento de rotina na localidade conhecida como Areal quando foram surpreendidos pelos traficantes. Atingido no braço, o PM foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Alemão, onde recebeu os primeiros socorros, sendo posteriormente transferido para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

14 de Junho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha, o soldado Leandro Ramalho foi baleado durante ataque de criminosos da facção Amigos dos Amigos (ADA) que continuam controlando o tráfico de drogas na Favela da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul do Rio. Os bandidos aproveitaram o horário de troca de turno para fazer uma emboscada contra o microônibus da corporação que fazia o deslocamento do efetivo. O veículo passava pela localidade conhecida como Vila Verde quando foi surpreendido por dezenas de traficantes armados. Os bandidos efetuaram diversos disparos contra os PMs, que revidaram. No confronto, o soldado foi atingido nas costas. Socorrido pelos próprios colegas, ele foi levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, no Leblon.

Soldado PM André Rodrigues, 30 anos

Soldado PM André Rodrigues, 30 anos

15 de Junho: 1 PM morto
Lotado no 2º BPM (Botafogo), o soldado André Rodrigues, 30 anos, morreu após ser baleado em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. O PM, que estava de folga, foi surpreendido pelo criminoso no bairro Lote XV.

18 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes), o soldado Guimarães foi baleado na perna ao efetuar um disparo acidental, no interior do batalhão, na Zona Oeste do Rio. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.

18 de Junho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Fallet, o soldado Rafael Souza foi baleado no braço durante confronto com criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Morro do Fallet, em Santa Teresa, na região central do Rio. Os PMs realizavam patrulhamento de rotina na localidade conhecida como Couro Come quando foram surpreendidos por traficantes que ao notarem a aproximação dos policiais efetuaram diversos disparos contra eles. Atingido no braço esquerdo, o soldado foi socorrido pelos próprios colegas e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

Sargento PM Victor Gomes Vidal

Sargento PM Victor Gomes Vidal

21 de Junho: 1 PM morto
Lotado no Grupamento Tático Móvel (GTM) do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) e adido ao Tribunal de Justiça, o sargento Victor Gomes Vidal morreu após ser baleado ao reagir a uma tentativa de assalto, na Rua Fausto Cardoso, em Rocha Miranda, na Zona Norte do Rio.

21 de Junho: 2 PMs baleados
Cedidos à Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), os sargentos Marcelo Ferreira Neves e Edgar Antunes Leite foram baleados durante troca de tiros no interior do sítio do deputado estadual Paulo Melo. Os dois PMs trabalham na segurança do deputado, que é presidente da Alerj. A propriedade, que fica em Lavras, distrito de Rio Bonito, foi invadida por homens armados. Ainda não se sabe se houve uma tentativa de assalto ou atentado. O político fraturou um dos dedos do pé ao tentar se esconder com a esposa, a prefeita de Saquarema, Franciane Mota. Atingidos na perna e nas nádegas, respectivamente, o sargento Marcelo e o sargento Edgar foram socorridos e levados para o Hospital Darcy Vargas.

22 de Junho: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Fazendinha, o soldado Fábio Gomes da Silva, 30 anos, foi baleado durante ataque de criminosos que ainda controlam o tráfico de drogas no Complexo do Alemão. Os policiais desciam uma escadaria pela Rua Desabamento e passavam pelo Beco do Dimas, a caminho do Campo do Sargento, quando foram surpreendidos pelos bandidos. Atingido no rosto, o soldado F Gomes foi socorrido pelos próprios colegas de farda e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu.

23 de Junho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Alemão, um sargento que não teve o nome divulgado foi baleado durante ataque de criminosos que ainda controlam o tráfico de drogas no Complexo do Alemão. Os PMs realizavam patrulhamento pela Rua Joaquim de Queiroz quando, na altura da localidade conhecida como Areal, foram atacados a tiros. Os policiais revidaram e dois suspeitos foram atingidos. Socorridos pelos próprios policiais, foram levados para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. Com os baleados, os PMs apreenderam um revólver calibre 45 com a numeração raspada, um carregador de pistola calibre 9 milímetros e um rádio transmissor.

Soldado PM Dayvid Lopes Athanázio, 23 anos

Soldado PM Dayvid Lopes Athanázio, 23 anos

26 de Junho: 1 PM morto
Lotado no Grupamento Tático Móvel (GTM) do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o soldado Dayvid Lopes Athanázio, 23 anos, morreu após sofrer emboscada na porta de sua casa, no bairro Jardim Catarina, em São Gonçalo. O PM chegava em casa, na Avenida Padre Vieira – entre as ruas 29 e 80 -, no Catarina Novo, quando foi surpreendido pelos traficantes do local. Há pouco mais de dois anos na corporação, o soldado sequer teve tempo de reagir. Os bandidos fugiram levando a arma dele. O policial ainda foi socorrido por um tio e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres – mais conhecido como Hospital Geral de São Gonçalo -, no Colubandê, mas não resistiu.

26 de Junho: 2 PMs baleados
Lotados no 20º BPM (Mesquita), o sargento Uitacy Soares e o soldado Teixeira foram baleados em Japeri, na Baixada Fluminense. Os PMs estavam em um posto de combustíveis quando presenciaram um assalto e tentaram intervir. Feridos, foram socorridos e levados para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, na região central do Rio.

Sargento PM reformado Alexandre Santos de Oliveira, 47 anos

Sargento PM reformado Alexandre Santos de Oliveira, 47 anos

27 de Junho: 1 PM morto
O sargento reformado Alexandre Santos de Oliveira, 47 anos, morreu após ser baleado durante assalto, em Mesquita, na Baixada Fluminense. O PM – que se reformou por invalidez após perder a visão de um dos olhos em um outro assalto – chegou a ser socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Doutor Mário Bento, mas não resistiu. O policial estava em seu carro na Rua Visconde do Rio Branco, no bairro Jacutinga, e quando notou a aproximação dos assaltantes tentou esconder sua pistola, jogando-a no chão do veículo. No entando, os bandidos viram e atiraram no sargento com sua própria arma.

27 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Ações com Cães (BAC), o sargento Josué Jophilis, 39 anos, foi baleado durante tentativa de assalto em Irajá, na Zona Norte do Rio. Ele passava de automóvel pela Rua Guirareia quando criminosos tentaram levar o veículo. Eles o identificaram como policial e efetuaram diversos disparos. Atingido nas mãos e na perna, o PM perdeu um dos dedos. A esposa dele também foi baleada e ficou com uma bala alojada no pulmão. Mesmo ferido, o sargento ainda conseguiu continuar dirigindo o carro até o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

Soldado PM Filipe Nascimento, 30 anos

Soldado PM Filipe Nascimento, 30 anos

28 de Junho: 1 PM morto
Lotado no 22º BPM (Benfica), o soldado Filipe Nascimento, 30 anos, morreu no Hospital Estadual Albert Schweitzer, para onde foi levado após ser baleado na porta de casa, na Rua Limites, em Realengo, na Zona Oeste do Rio. O porteiro do edifício onde o PM morava contou que ele foi chamado no portão por um homem em uma moto, por volta de 1h. Após uma discussão, o motoqueiro efetuou disparos contra o sargento e fugiu.

29 de Junho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Lins, o soldado Frias foi baleado enquanto trabalhava no apoio ao policiamento no Morro São João, no Engenho Novo, na Zona Norte do Rio. Ele foi atingido durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV).

29 de Junho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Nova Brasília, o soldado Alves foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) quando trafegava pela localidade conhecida como Praça do Terço. Motorista da Supervisão, ele foi socorrido pelos colegas de farda e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

30 de Junho: 1 PM morto
O sub-tenente reformado da PM Jorge de Farias morreu após ser baleado ao tentar impedir um assalto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O policial presenciou quando bandidos tentaram roubar um caminhão de lingerie na Rua Líder, no bairro Posse. Ao reagir, acabou atingido e não resistiu.

02 de Julho: 2 PMs baleados
Lotados no Hospital da Polícia Militar de Niterói (HPM-Nit), o sargento Marcelo de Santana Gomes dos Santos, 36 anos, e o cabo Carlos Eduardo Cabral Gomes, 34, foram baleados durante tentativa de assalto, no bairro Lindo Parque, em São Gonçalo. Os PMs, que estavam de folga, presenciaram quando criminosos tentaram roubar um caminhão de cigarros e deram voz de prisão aos bandidos, que reagiram efetuando disparos contra os policiais. Atingidos, os militares entraram no Gol preto de um deles e dirigiram até o Pronto Socorro de São Gonçalo (PSSG), no Zé Garoto, sendo perseguidos pelos assaltantes que estavam em uma moto e ainda atiraram diversas vezes contra o veículo. O tiroteio provocou pânico em quem estava próximo à unidade de saúde. O automóvel ficou com cerca de dez marcas de tiros na lataria. O sargento foi baleado três vezes no abdômen e o cabo nas costas.

Capitão PM Marques

Capitão PM Marques

3 de Julho: 1 PM baleado
Lotado no 9º BPM (Rocha Miranda), o capitão Marques foi baleado por criminosos da facção Terceiro Comando Puro (TCP) durante incursão no Morro da Serrinha, em Madureira, na Zona Norte do Rio. Comandante da 4ª Cia, ele estava como supervisor de operações e acompanhava equipes do Grupamento de Ações Táticas (GAT). O oficial foi atingido na barriga no momento em que subia a escadaria da Rua Doutor Joviniano, próximo à creche municipal Tia Maria do Jongo. Socorrido, foi levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes.

Soldado PM Valério Albuquerque Melo Filho

Soldado PM Valério Albuquerque Melo Filho, 32 anos

3 de Julho: 1 PM morto
Lotado no 25º BPM (Cabo Frio), o soldado Valério Albuquerque Melo Filho, 32 anos, morreu ao ser baleado durante assalto no Km 54 da RJ-124 (Via Lagos), na altura de São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos. Ele e o subtenente reformado da PM Ramalho trafegavam no Toyota Corolla blindado cinza placa LUB 2936 quando foram interceptados pelos criminosos – que estavam no Focus branco placa LLR 4113 e em uma Toyota Hillux. O soldado teria aberto a janela do veículo blindado para discutir depois que bateram no automóvel que ele dirigia e acabou surpreendido ao perceber que os ocupantes estavam armados com fuzis. Atingido no abdômen, o soldado Valério morreu no local. O subtenente Ramalho, que estava no banco do carona, conseguiu correr pelo matagal existente às margens da rodovia e fugiu. Os PMs faziam o transporte de R$ 6 milhões da empresa de valores Express. Os bandidos fugiram na Hillux levando cerca de R$ 4 milhões.

3 de Julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha, o cabo Alan Vinícius Assis Souza foi baleado ao reagir a um assalto em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O policial estava saindo de serviço no Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis) e seguia para casa quando foi abordado por uma dupla em uma moto, na Estrada de Madureira, próximo a uma pedreira. Ele reagiu e chegou a trocar tiros com os criminosos. Um deles foi atingido na mão e preso ao dar entrada no Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse. Baleado no braço esquerdo e no tórax, o PM foi socorrido e levado para a mesma unidade de saúde, sendo posteriormente transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

5 de Julho: 1 PM morto
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o sargento Luciano Nepomuceno seguia para casa quando foi abordado por criminosos que controlam o tráfico de drogas na Favela Parada Angélica, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Ao ter a identidade descoberta, ele foi levado para o interior da favela, onde foi torturado e morto. Policiais do 15º BPM (Duque de Caxias) não receberam autorização para entrar na favela e resgatar o PM pois estava sendo realizado um baile funk e superiores hierárquicos consideraram que havia risco de haver um tiroteio que colocassem em risco pessoas sem envolvimento com o tráfico. O sargento foi lotado no Setor de Manutenção (P-4) do 1º Comando de Policiamento de Área (1º CPA) e antes de ser transferido para o rancho do batalhão de São Gonçalo chegou a trabalhar na segurança da esposa do prefeito Eduardo Paes. O corpo do PM foi deixado, após o término do baile, próximo a um posto de combustíveis às margens da rodovia Washington Luiz.

7 de Julho: 1 PM baleado
Lotado no 15º BPM (Duque de Caxias), o sargento Walter Sobreiro dos Santos Filho, 35 anos, foi baleado no pé e na cabeça, na Rua Prefeito Nilton Rodrigues, no bairro Manilha, em Itaboraí. O PM, que estava em frente ao comércio de seu pai, foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Prefeito João Batista Caffaro, sendo posteriormente transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres – mais conhecido como Hospital Geral de São Gonçalo -, no Colubandê, onde o sargento foi submetido a uma cirurgia.

Soldado PM Estevão

Soldado PM Estevão

8 de Julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) de Manguinhos, o soldado Estevão foi baleado no rosto durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam o tráfico de drogas na região. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Geral de Bonsucesso, correndo o risco de perder a mandíbula, mas sem risco de morte.

subtenente PM Edmilson Serafim Busson

subtenente PM Edmilson Serafim Busson

8 de Julho: 1 PM baleado
Lotado na 7ª Unidade de Polícia Ambiental Marítima (UPAM), o subtenente Edmilson Serafim Busson chegava para assumir serviço pelo Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis) em uma escola localizada no bairro Sacramento, em São Gonçalo, juntamente com o soldado De Souza quando foram abordados por assaltantes. Eles reagiram e um dos bandidos chegou a ser baleado, mas Busson foi atingido no braço. Socorrido, ele foi levado para o Hospital da Polícia Militar de Niterói (HPM-Nit), onde foi submetido a uma cirurgia.

Subtenente PM Edmilson Serafim Busson

Subtenente PM Edmilson Serafim Busson

9 de Julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Jacarezinho, o soldado Anderson Carolino de Amorim foi abordado por três homens que tentaram roubar seu carro, próximo à passarela do bairro Apolo, em Itaboraí. Ele reagiu e acabou atingido por um tiro que perfurou seu fígado. O PM foi encaminhado para o Hospital Municipal Leal Júnior, onde passou por cirurgia, e seu estado de saúde é considerado estável.

Soldado PM Anderson Carolino de Amorim

Soldado PM Anderson Carolino de Amorim

11 de Julho: 1 PM morto
Lotado no 2º Comando de Policiamento de Área (2º CPA), o sargento José Ricardo Valença Moniz morreu após ser baleado ao reagir a um assalto em sua casa, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. O PM fazia uma obra na residência, localizada na Rua Sibéria, quando foi surpreendido por homens armados que invadiram o imóvel.

12 de Julho: 1 PM baleado
Lotado no 20º BPM (Mesquita), o sargento Valdecir Moreira Eduardo foi baleado durante confronto com criminosos em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O PM e seu colega de farda realizavam patrulhamento de rotina e passavam pela Estrada de Madureira quando, em frente à Favela Danon, se depararam com um grupo de homens armados. Ao notar a aproximação da viatura, os criminosos efetuaram diversos disparos contra os policiais, que revidaram. Na troca de tiros, o policial foi atingido no rosto. Socorrido pelo colega, foi levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu.

12 de Julho: 1 PM baleado
Lotado no Grupamento de Policiamento Transportado em Ônibus Urbano (GPTOU) do 5º BPM (Praça da Harmonia), o cabo João Vitor Barcelos, 31 anos, foi baleado ao reagir a uma tentativa de assalto, no bairro Porto do Rosa, em São Gonçalo. O PM conduzia seu veículo pelo trecho Niterói-Manilha da BR-101 e seguia para casa quando foi surpreendido por quatro bandidos. Os criminosos conseguiram entrar no carro da vítima e quando perceberem a farda dentro do veículo, o levaram até um terreno baldio na Rua Ernesto Lavisse, dentro da Favela da Cerâmica, a cerca de três quilômetros de distância da rodovia. Eles amarraram o PM que, ao perceber que seria executado, conseguiu se soltar mas não teve tempo de fugir, sendo atingido por um tiro nas costas. Os bandidos roubaram a carteira e a pistola do cabo e fugiram correndo e moradores que ouviram o barulho do tiro ligaram para a PM. O cabo, que está com casamento marcado para setembro, foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres – mais conhecido como Hospital Geral de São Gonçalo -, no Colubandê.

13 de Julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha, um soldado que não teve o nome divulgado foi baleado durante confronto com criminosos da facção Amigos dos Amigos (ADA) que controlam o tráfico de drogas na região. Durante patrulhamento de rotina, os PMs apreenderam uma pequena quantidade de drogas na localidade conhecida como Beco do Máscara. Em seguida, foram atacados por criminosos que atiraram na direção dos policiais, que revidaram. Atingido no braço, o soldado foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Miguel Couto.

14 de Julho: 1 PM baleado
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o sargento Renato, 38 anos, foi baleado durante operação na Favela do Risca Faca, no bairro Maria Paula, na divisa entre os municípios de São Gonçalo e Niterói. O PM se preparava para abordar uma moto com dois suspeitos quando foi surpreendido por criminosos que vinham em outra moto dando cobertura à dupla. Os suspeitos aproveitaram e fugiram, também efetuando disparos contra a guarnição. O tiro atingiu as costas do sargento, próximo à quarta vértebra, e saiu pelo abdômen. O policial está internado no Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, e não corre risco de morrer.

14 de Julho: 1 PM morto
Lotado no 40º BPM (Campo Grande), o sargento Antônio Carlos Moraes da Silva, 43 anos, morreu após ser baleado em um confronto com acusados de realizar um arrastão, em Senador Vasconcelos, na Zona Oeste do Rio. Os criminosos abordaram pelo menos nove pessoas na Estrada do Pré, próximo à Avenida Santa Cruz, onde roubaram os pertences das vítimas. A PM foi chamada e houve confronto e perseguição. Na troca de tiros, um dos bandidos e o sargento foram baleados. O policial ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Rocha Faria, sendo transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, mas infartou durante a cirurgia e não resistiu.

Sargento PM Eccard

Sargento PM Eccard

16 de Julho: 1 PM baleado
Lotado no 27º BPM (Santa Cruz), o sargento Eccard foi baleado durante confronto com criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam o tráfico de drogas na Favela do Rola, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. Integrante do Grupamento de Ações Táticas (GAT) da unidade, o PM foi atingido por um tiro de fuzil na região do abdômen. O impacto foi amortecido pelo colete – com placa de cerâmica – que o sargento usava sobre a farda. A troca de tiros ocorreu durante incursão na localidade.

18 de Julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Nova Brasília, o soldado Araújo foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam a venda de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. O PM realizava patrulhando de rotina pela Rua 7 de Setembro quando, próximo a Praça do Índio, ele e os colegas de farda foram surpreendidos por pelo menos dois homens armados que efetuaram disparos contra eles. Atingido no braço direito, o soldado foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas.

carro2

20 de Julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Alemão, o soldado Anderson Araújo de Souza Cordeiro foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam a venda de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Atingido no tórax, o PM foi socorrido e está recebendo atendimento médico no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. Na ação criminosa, a base da UPP localizada na Rua Canitar foi incendiada e viaturas ficaram com marcas de tiros na lataria. Uma delas chegou a pegar fogo.

carro

22 de Julho: 1 PM baleado
Lotado no 15º BPM (Duque de Caxias), o cabo Fonseca foi baleado durante confronto com criminosos que controlam o tráfico de drogas na Favela Parada Angélica, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O PM participava de incursão na localidade quando houve a troca de tiros.

22 de Julho: 3 PMs baleados
Lotado no 41º BPM (Irajá), três policiais militares que não tiveram nomes e patentes divulgados foram baleados durante troca de tiros com criminosos que controlam o tráfico de drogas no Morro do Chapadão, em Costa Barros, na Zona Norte do Rio. Um dos PMs foi atingido por um tiro de fuzil no pé e perdeu os dedos. Outro foi atingido no tórax e outro no joelho.

22 de Julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Tabajaras, o soldado Jonas foi baleado no braço durante assalto, na Avenida Automóvel Clube, na altura do bairro de Irajá, na Zona Norte do Rio.

22 de Julho: 1 PM morto
Lotado no 14º BPM (Bangu), o cabo Wellington Alves Barbosa morreu no Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, para onde foi levado após ser baleado no braço e no abdômen, dentro de casa, na Rua Capitão Menezes, na Praça Seca, na Zona Oeste do Rio. A esposa do PM, Daniele Bastos de Pontes, apontada como a responsável pelos disparos, fugiu após deixá-lo na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Praça Seca.

29 de Julho: 1 PM baleado
Lotado no 9º BPM (Rocha Miranda), um subtenente que não teve o nome e idade divulgados foi baleado durante confronto com criminosos no Morro do Faz Quem Quer, em Rocha Miranda, na Zona Norte do Rio. Atingido na perna, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, e posteriormente transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. Um suspeito foi morto e outro foi preso. Ambos estavam com pistolas, que foram apreendidas.

29 de Julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do São João, o soldado W Pontes integrava a equipe que reforça o policiamento no Complexo do Alemão e foi baleado durante confronto com criminosos na Favela Nova Brasília.

6 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Alemão, um soldado que não teve o nome divulgado foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) no Morro do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Atingido na perna, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

6 de Agosto: 1 PM morto
Lotado no 12BPM, o sargento Gerson morreu após ser baleado na Favela Vila Ipiranga, no Fonseca, na Zona Norte de Niterói. O PM chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Estadual Azevedo Lima, nmas não resistiu. O sargento, que trabalhava no Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) do Caramujo, participava de incursão na localidade quando criminosos da facção Comando Vermelho (CV) atacaram os policiais. Eles revidaram a agressão e no confronto o PM foi atingido no pescoço.

11 de agosto: 1 PM morto
Lotado no 9º BPM (Rocha Miranda), o cabo Fabrício Alves, 35 anos, morreu após reagir a uma tentativa de assalto, na localidade de Santa Margarida, em Campo Grande, na Zona Oeste. O PM estava na lanchonete de sua propriedade quando foi surpreendido por criminosos que entraram no estabelecimento anunciando um assalto. Ele reagiu, mas acabou baleado. O cabo ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Rocha Faria, mas não resistiu. O PM estava há sete anos na corporação.

12 de agosto: 1 PC baleado
Lotado no Esquadrão Anti-Bombas da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil, um inspetor de 62 anos que não teve o nome divulgado foi baleado ao reagir a uma tentativa de assalto no bairro Coelho Neto, na Zona Norte do Rio. Os bandidos abordaram o policial e tentaram levar o carro dele, na Praça de Coelho Neto. Atingido na mão, ele foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Rocha Miranda.

Soldado PM Weslley dos Santos Silva Lucas, 30 anos

Soldado PM Weslley dos Santos Silva Lucas, 30 anos

12 de agosto: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Fallet/Fogueteiro, o soldado Weslley dos Santos Silva Lucas, 30 anos, morreu após ser baleado no Morro da Coroa, no bairro Santa Teresa, na região central do Rio. Ele foi atacado por criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que ainda controlam o tráfico de drogas no local. O soldado ainda foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, mas não resistiu.

12 de agosto: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotados no 9º BPM (Rocha Miranda), o subtenente Antônio João Galberto de Brito morreu e o sargento José Luiz da Cruz foi baleado durante uma briga ocorrida no interior de um bar na Rua das Camélias, no bairro Vila Valqueire, na Zona Oeste do Rio. Os dois discutiram por motivos ainda não esclarecidos. De acordo com testemunhas, o subtenente atirou na barriga do sargento, que reagiu efetuando um disparo que atingiu o outro PM na nuca.

14 de agosto: 1 PC morto
Lotado na 97ª DP (Mendes), o inspetor José Henrique Barranco, 53 anos, morreu ao reagir a um assalto, no Engenho de Dentro, na Zona Norte do Rio. O policial estava em um bar localizado na esquina das ruas Monsenhor Jerônimo e Ana Leonídia quando três homens armados entraram no estabelecimento. Ao notar a ação, o inspetor sacou sua arma e disparou contra o trio. No confronto, além do inspetor, um bandido também foi atingido. Os dois comparsas dele fugiram no Fox branco placa LQQ 5017.

18 de agosto: 1 PM morto
Lotado no 9º BPM (Rocha Miranda), o subtenente Marcelo Dantas dos Santos, 47 anos, morreu após ser baleado durante uma saidinha de banco – quando a vítima é seguida e assaltada após efetuar saque em agência bancária ou caixa eletrônico -, na Fazenda Botafogo, na Zona Norte do Rio. O crime ocorreu na Rua Pedro Jório.

18 de agosto: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Fazendinha, o soldado Douglas Costa da Silva foi assassinado por criminosos ao ter sua identidade descoberta. Ele e dois amigos estavam na Praça Olavo Bilac, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, quando foram abordados por homens armados que anunciaram um assalto. Ao descobrir que entre o trio estava o PM, os bandidos os levaram para dentro da favela e os agrediram com coronhadas. Eles chegaram a cortar com estilete a bochecha de um dos amigos do policial, escrevendo as letras “CV” – sigla da facção criminosa Comando Vermelho. A dupla correu e fugiu, deixando o soldado para trás. Horas depois, um corpo carbonizado foi encontrado no porta-malas de um veículo, em Belford Roxo, e atribuído ao militar.

19 de agosto: 1 PM baleado
Lotado no 3º BPM (Méier), um sargento que não teve o nome divulgado foi baleado, no bairro Engenho da Rainha, na Zona Norte do Rio. O PM participava de uma abordagem de rotina e se preparava para abordar dois suspeitos que passavam de moto na Estrada Velha da Pavuna quando foi surpreendido pela ação dos criminosos. Atingido nas costas e na perna, o sargento foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, sendo posteriormente transferido para o Hospital Central da Polícia Militar, no Estácio.

21 de agosto: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Alemão, o soldado Morvone foi baleado na localidade conhecida como Beco do Sabino, durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no locl. Foi preciso acionar o blindado da corporação para conseguir socorrer o PM. Ele foi levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

23 de Agosto: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Alemão, o cabo Cláudio de Oliveira Reynaldo, 40 anos, foi encontrado com queimaduras de segundo grau nos membros superiores após ter sido vítima de um assalto na Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio. De acordo com investigações, o PM foi sequestrado por bandidos após sair de um restaurante com amigos e conseguiu sobreviver após ter sido trancado dentro de seu carro em chamas. O cabo foi encontrado na Estrada das Canárias próximo à comunidade Parque Royal, e conduzido ao Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. Sua arma, seu carro e seus documentos haviam sido levados pelo bandido. Há suspeitas de que os criminosos atearam fogo no veículo, após descobrir que ele era policial. No dia seguinte após ser encontrado, policiais do 17ºBPM (Ilha do Governador) localizaram um automóvel – que seria do cabo – carbonizado na Estrada de Tubiacanga, a dois quilômetros de onde o PM foi encontrado. O policial permaneceu internado em estado grave durante 12 dias, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu no dia 4 de setembro.

23 de agosto: 2 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro dos Macacos, dois policiais militares que não tiveram patente, nome ou idade divulgados foram baleados durante ataque de criminosos da facção Amigos dos Amigos (ADA) que controlam o tráfico de drogas no local. Os PMs realizavam patrulhamento e estavam no interior da viatura quando foram atacados. Eles sequer tiveram tempo de reagir. Socorridos, foram levados para o Hospital Federal do Andaraí.

24 de agosto: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Mangueira, o sargento Flávio Figueiredo Lordello e o soldado De Lima foram atacados por criminosos em Irajá, na Zona Norte do Rio. Os PMs, que estavam de folga, conversavam em um bar na Rua Coronel Vieira quando foram surpreendidos. O sargento Lordello não resistiu aos ferimentos e morreu no local. O soldado De Lima foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, onde foi submetido a uma cirurgia.

24 de agosto: 2 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Vila Cruzeiro, o cabo Sales e o soldado Churce foram baleados durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV). Socorridos, eles foram levados para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. O primeiro foi atingido na canela e o segundo na altura do peito. De acordo com os médicos responsáveis pelo atendimento, eles não correm risco de morrer.

1º de setembro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Fazendinha, o soldado Farias foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Uma equipe do Grupamento Tático de Polícia de Proximidade (GTPP) realizava patrulhamento de rotina e passavam pela Rua Relicário quando foram surpreendidos por tiros disparados por bandidos que estavam dentro de uma lan house. Atingido no pé, o PM foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Alemão.

2 de setembro: 1 PM baleado
Lotado no 41º BPM (Irajá), um policial que não teve o nome e nem a patente divulgados foi baleado durante confronto com traficantes do Morro do Chaves, em Barros Filho, na Zona Norte do Rio. Atingido na perna, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes.

8 de setembro: 1 PM baleado e 1 PM morto
Lotados no Grupamento de Ações Táticas (GAT) do 12º BPM (Niterói), o sargento Leonardo Simão Mercante, 41 anos, e o cabo Emerson Oliveira, 36, foram baleados durante incursão no Complexo da Lagoinha, no bairro Caramujo, na Zona Norte de Niterói. Os PMs tinha participado de uma operação para acabar com um baile funk promovido pelo tráfico no local e quando saíam da favela e se preparavam para entrar no veículo blindado foram surpreendidos pelos disparos. O cabo Emerson foi atingido de raspão na cabeça, mas por um tiro de fuzil. Ao ver o colega de farda caído, o sargento Mercante tentou socorrê-lo e acabou atingido na perna. Após chegada de reforço, os PMs conseguiram sair da favela e conduzir os feridos ao Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca. O cabo Emerson ainda foi submetido a uma cirurgia e permaneceu internado em estado grave no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) durante quatro dias, mas não resistiu e faleceu na quinta-feira, dia 11 de setembro. Durante a ação um comerciante também ficou ferido. Identificado como Manoel Francisco, ele foi atingido no ombro e fraturou a clavícula no momento em que criminosos efetuaram disparos contra policiais que realizavam revistas em seu bar.

9 de setembro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Turano, o soldado Adriano foi baleado durante confronto com criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Morro do Turano, na Tijuca, na Zona Norte do Rio. Atingido na panturrilha, ele foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

9 de setembro: 1 PM baleado
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o sargento Audrey foi baleado durante incursão no Complexo do Salgueiro, no bairro de mesmo nome, em São Gonçalo. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadual Alberto Torres – mais conhecido como Hospital Geral de São Gonçalo -, no bairro Colubandê. Na ação, os PMs apreenderam um fuzil 762 e detiveram seis acusados de envolvimento com o tráfico de drogas no local – entre eles, dois menores de idade.

Capitão PM Uanderson Manoel da Silva, 34 anos

Capitão PM Uanderson Manoel da Silva, 34 anos

11 de Setembro: 1 PM morto
Comandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Nova Brasília, o capitão Uanderson Manoel da Silva, 34 anos, morreu após ser baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão. O oficial acompanhava uma equipe em patrulhamento quando foram surpreendidos pelos bandidos, na localidade conhecida como Largo da Vivi. Atingido no peito, ele ainda foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Alemão, sendo posteriormente transferido para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu.

19 de Setembro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) São João, um PM foi baleado durante confronto com criminosos que controlam o tráfico de drogas no Morro São João, no bairro Engenho Novo, na Zona Norte do Rio. Equipes do Grupamento de Patrulhamento Preventivo (GPP) e do Núcleo de Inteligência foram verificar uma denúncia de chegada de entorpecentes na Rua Juiz Jorge Salomão, na localidade conhecida como Cotovelo. Quando se aproximarem do local, os PMs foram recebidos a tiros e revidaram. O soldado foi encaminhado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, onde está internado.

19 de Setembro: 1 PM baleado
Lotado no 21º BPM (São João de Meriti), o tenente Victor Mairynk foi atingido durante incursão na Favela da Linha, no bairro São Mateus, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Socorrido, ele foi à Casa de Saúde e Maternidade Terezinha de Jesus, no Centro.

20 de Setembro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Parque Proletário, o soldado Ricciardi foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas na região durante patrulhamento de rotina. Os PMs passavam pela Rua 29 quando foram surpreendidos por homens armados. O tiro foi desviado após atingir a pistola que estava no coldre do soldado e ficou alojada nas nádegas.

21 de Setembro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Turano, o soldado Ramires foi baleado durante confronto com criminosos.

Relembrando – Estatística de Policiais Mortos e Baleados:

2009

2010

2011

2012

2013

Print Friendly
Share in top social networks!